Dra. Simony Chiaperini

A Dra. Simony Chiaperini, médica do Esporte, está aqui para oferecer dicas e tirar dúvidas sobre saúde, prática esportiva e sua relevância para uma rotina mais saudável, além de procedimentos estéticos corporais e faciais para a beleza e bem-estar.

Ciclo circadiano e treino

O ritmo circadiano (ou ciclo circadiano) designa o período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos.

Isso significa que existe um momento nesse período de 24 horas em que as células musculares são capazes de usar oxigênio para produzir energia com muito mais eficiência, melhorando a performance física.

A ciência ainda não descobriu quando é exatamente esse momento em que a atividade é otimizada, mas, segundo estudos, isso pode acontecer em breve, com a continuidade das pesquisas. E, apesar da ciência não ter essa resposta (ainda), ela tem algumas outras informações relevantes que podem ajudar a determinar o melhor horário para treinar.

Algumas pesquisas apontam o horário das 5 da tarde, enquanto outras citam as primeiras horas da manhã. Cada horário tem suas vantagens e desvantagens, e a ciência já descobriu algumas características interessantes para cada um:

Pela manhã:

Nível de testosterona mais alto;

Ápice da disposição mental;

Melhor funcionamento da memória.

Tarde:

Maior tolerância contra dores;

Maior nível de adrenalina e temperatura mais alta no fim da tarde;

Equilíbrio máximo das funções físicas e mentais no fim da tarde.

Noite:

Pico de coordenação motora e resistência física;

Melhor performance dos pulmões;

Ápice de flexibilidade e força;

Capacidade de concentração e foco diminuindo progressivamente.

As afirmações e achados seguem a fisiologia básica do sistema metabólico, porém a individualidade deve ser levada em consideração, principalmente na conduta médica e no desenvolvimento do treino. Dia a dia, alimentação, sono e as adaptações físicas e fisiológicas da atividade física.

O importante é você saber o que é melhor para você, qual o horário do dia, qual o treino é mais prazeroso, com certeza você terá uma resposta incrível!

Apenas mantenha o corpo ativo!

O papel do médico do esporte no futebol

Aproveitando o clima da Copa, vamos falar um pouco sobre o papel do médico do esporte em uma equipe de futebol.

Os clubes de futebol estão muito preocupados em prevenir contusões, lesões musculares, fraturas, dores e desgaste físico dos jogadores.  Ao longo dos anos, aprenderam que há inúmeras possibilidades de melhorar desempenho físico dos atletas unindo esforços multidisciplinares dentro do departamento médico.

A ciência é uma aliada inquestionável quando se pensa em soluções aplicadas ao esporte, por isso os médicos e outros profissionais, que atuam nos clubes, desenvolvem pesquisas nas universidades e promovem o diálogo entre estudos de várias áreas do conhecimento e os departamentos médicos dos clubes possuem equipes com ortopedistas, fisiologistas, fisioterapeutas, educadores físicos, nutricionistas e profissionais de estatística.

Atualmente os jogadores usam GPS, acoplado ao corpo durante as partidas, com isso, é possível apontar o momento em que um jogador está prestes a ter uma lesão, permitindo saber em quais épocas os atletas têm mais lesões, de acordo com o desgaste físico.

As influências do sono e da alimentação na rotina dos atletas podem parecer questões óbvias quando se pensa em melhoria de desempenho. O médico do esporte atua intimamente neste monitoramento, garantindo a prevenção de doenças relacionadas à imunidade e/ou relacionadas ao desgaste físico, além de auxiliar na otimização da recuperação após lesões e de trazer e aplicar o que há de mais novo em termos de ciência, relacionada ao esporte.

O que é a Medicina Esportiva e qual a sua importância?

Medicina esportiva é uma especialidade médica que investiga a influência do exercício, do treinamento e do esporte sobre as pessoas sadias ou doentes, atletas profissionais e/ou praticantes de atividade físico-desportiva, uma vez que o sedentarismo é condição indesejável e representa risco para a saúde.

Estudos epidemiológicos vêm demonstrando expressiva associação entre estilo de vida ativo com menor possibilidade de morte e melhor qualidade de vida. Pesquisas têm comprovado que os indivíduos fisicamente aptos e/ou treinados tendem a apresentar menor incidência da maioria das doenças crônico-degenerativas, explicável por uma série de benefícios fisiológicos e psicológicos, decorrentes da prática regular da atividade física.

Neste aspecto, o médico especialista em Medicina do Esporte está capacitado tecnicamente para conduzir um tratamento e acompanhamento de doenças relacionadas ao estilo de vida e que possuem atividade física como indicação de melhora metabólica, física e fisiológica, avaliando o impacto da atividade física nas funções vitais e ajustando a cada resposta metabólica, idade, sexo e rotina diária.

A importância da saúde intestinal

Vamos falar sobre saúde intestinal. Os benefícios de estar tudo em mais perfeita ordem.

Probióticos

A microbiota intestinal apresenta papel importante na saúde e na doença e é reconhecido que é um importante contribuinte para o equilíbrio do metabolismo e do sistema imunológico.

O desequilíbrio da microbiota intestinal – menor quantidade de bactérias benéficas e maior quantidade de bactérias patogênicas –, é conhecido como disbiose.

Probióticos são microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades apropriadas e ainda vivos no local de ação (ambiente ótimo), conferem benefício à saúde do hospedeiro.

A suplementação com probiótico oral:

– Corrige disbiose;

– Reforça o sistema imunológico;

– Controla diarreia causada por uso frequente de antibiótico;

– Controla doença inflamatória intestinal;

– Garante fermentação bacteriana e consequente produção de ácidos graxos de cadeia curta;

– Garante a produção de vitaminas do complexo B e vitamina K.

Consulte seu médico para avaliar a real necessidade do uso de probióticos e quais as cepas mais indicadas para o seu caso.

Acelerando o metabolismo

Para podermos afirmar que nosso metabolismo está lento ou decidir acelerar o metabolismo precisamos ter em mente algumas definições.

Metabolismo é caracterizado por anabolismo, construção e catabolismo, degradação. São vias metabólicas que podem gastar ou produzir energia em nosso organismo a fim de sintetizar estruturas diversas.

A avaliação do metabolismo energético, ou seja, a medida do gasto energético nos processos físicos, químicos e fisiológicos é a somatória de quatro gastos energéticos. São eles: gasto energético de repouso, atividade física, termogênese induzida pela dieta, gasto metabólico basal.

No catabolismo dos alimentos dentro do organismo temos a mudança da energia do alimento para o armazenamento sob forma de energia utilizada em reações bioquímicas e armazenada de formas diversas em todas as células. Quando realizamos um trabalho muscular, usamos a energia armazenada no músculo e posteriormente convertemos outras formas de energia armazenadas para que não falte substrato para esse trabalho muscular.

Levando em consideração as quatro variáveis, percebemos que o que pode alterar o metabolismo, de forma a acelerar o gasto de energia e queimar a reserva, são atividade física e a termogênese induzida pela dieta.

Portanto, quando afirmamos que o metabolismo está lento podemos pensar que o que pode estar faltando é uma dieta adequada, balanceada, sem excessos e atividade física que induza um gasto energético maior que o armazenamento.

Vamos então aumentar nosso metabolismo?

Gazeta da Cidade © 2014 | Todos os direitos reservados